Os princípios do cooperativismo

Uma interrelação com os valores humanos

Baseados no “Estatuto da Cooperativa de Consumo” de Rochdale (1844), os sete princípios que regem o cooperativismo têm muita relação com importantes valores humanos. Atualmente, as instituições cooperativas continuam funcionando baseadas nestes fundamentos. Conheça um pouco mais sobre estes princípios:

1 – Adesão livre e voluntária – Liberdade e igualdade

Em uma cooperativa, o acesso é livre a quem quiser cooperar (exceto nos casos de inaptidão nos termos da lei, ou do estatuto social), sendo que a manifestação de adesão compete ao próprio interessado. Assim, se praticam os valores de liberdade e igualdade no negócio cooperativo.

2 – Gestão democrática – Democracia e responsabilidade

Na cooperativa, não há usuários ou clientes, mas associados. Assim, todos têm o direito e o dever de votar e serem votados, participando ativamente da gestão da instituição, com responsabilidade e de forma democrática.

3 – Participação econômica – Responsabilidade e transparência

Como donos da cooperativa, os associados têm a responsabilidade de operar com a instituição e de contribuir financeiramente com ela. Os recursos de todos são investidos nas operações e serviços da própria cooperativa, na formação de reservas e, além de gerar vantagens no dia a dia, caso haja sobras, elas retornam aos associados, proporcionalmente às operações realizadas no período e à remuneração de suas quotas-partes de capital. Tudo feito de forma democrática, responsável e com total transparência para todos os associados.

4 – Autonomia e independência – Autoconfiança e honestidade

O empreendimento cooperativo é autônomo e independente por excelência, o que exige autoconfiança de todos seus associados, pois a cooperativa é uma iniciativa concebida pelos esforços de seus membros (quadro social) e moldada pela autogestão, não sendo permitida a influência externa nem a ingerência política. Isso não impede o livre exercício da regulamentação e supervisão por órgãos estatais. A honestidade é um ponto fundamental ao exercício cooperativo.

5 – Educação, formação e informação – Desenvolvimento e respeito

A sustentabilidade do modelo cooperativo e sua expansão entre os diferentes públicos requer a preparação dos atores internos e demais colaboradores, e a conscientização do público em geral. É de dever da cooperativa promover a educação, a formação e a informação com o objetivo de gerar valores humanitários ligados aos princípios cooperativos, com respeito à toda a sociedade.

6 – Intercooperação – Solidariedade e empatia

O princípio da cooperativa é autodescritivo, pois incentiva a integração e a ajuda mútua entre os membros, entre as cooperativas de mesmo ramo e, também, entre cooperativas de diferentes setores, sempre em prol do benefício coletivo dos associados. Para que ocorram essas integrações, valores como a solidariedade e a empatia são elementares ao negócio cooperativo.

7 – Interesse pela comunidade – Responsabilidade socioambiental

Por sua identidade socioeconômica, as cooperativas têm compromisso com o desenvolvimento de suas comunidades. Elas devem respeitar as características sociais e econômicas do local, desenvolvendo soluções de negócios para apoiar com responsabilidade em ações humanitárias e socioambientais sustentáveis.

Em uma cooperativa, cabe aos membros decidir que diretrizes as administrações devem seguir para cumprir este importante modelo organizacional.

Fonte: Sebrae

O nosso plano é estar sempre ao seu lado por isso estamos por aqui também! Central 24 horas - (17) 3202-1223 SAC 24 horas - 0800 772 94 67

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *