Prevenção em risco de quedas

O envelhecimento é um processo dinâmico e progressivo que ocasiona uma maior vulnerabilidade das pessoas. Queda é um evento não intencional que tem como resultado a mudança de posição do indivíduo para um nível mais baixo, em relação a sua posição inicial.

Mesmo sendo o envelhecimento inevitável podemos nutrir o corpo com uma boa alimentação e estilo de vida que promovam a saúde. Dessa forma conseguimos evitar patologias, retardar o processo de envelhecimento com atividades físicas, prevenir quedas que causam danos à saúde física e mental, destacando também tontura, vertigem e desequilíbrio.

Dentro das ações da Medicina Preventiva os pacientes contam com visitas do Gerenciamento das Doenças Crônicas – GDC e também participam de palestras médicas, grupos terapêuticos e consultas individuais com enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas, educadores físicos e demais profissionais, sem custo adicional na mensalidade.

A importância de se avaliar o risco quedas dos idosos é fundamental para a realização de medidas preventivas. Contudo, faz-se necessário uma conscientização da população para que esse evento tão frequente não seja apenas tratado após a sua ocorrência, e sim trabalhar no sentido de implementar ações preventivas, proporcionando desta forma uma melhor qualidade de vida aos idosos.

Situações de risco mais comuns às quais os idosos se expõem dentro de casa:

  • Tapetes soltos nos pisos de salas, banheiros, corredores, aumentam o risco de deslizar e escorregar;
  • Presença de móveis nos corredores e cômodos, em locais que precisam ser desviados ao transitar;
  • Animais de estimação (gatos, cachorros) que correm próximos aos donos;
  • Escadas sem corrimão;
  • Ambientes com pouca iluminação;
  • Levantar durante a noite e sem fácil acesso para acender as luzes;
  • Uso de escada para alcançar objetos guardados no alto;
  • Piso do banheiro molhado e escorregadio;
  • Sapatos de solados escorregadios ou com salto alto;
  • O uso de meias, chinelos, tamancos, sapatos tipo “anabela” aumentam a instabilidade no andar e prejudicam o equilíbrio.

 

O risco de quedas em casa é muito frequentemente e deve ser reconhecido pelos profissionais da saúde e pela própria família. Uma vez identificados, todos devem se mobilizar para minimizar esses riscos através de adaptações ambientais, que podem ser feitas por uma equipe especializada nos cuidados do individuo idoso.

 

Sugestões simples para quarto:

  • Interruptor de luz ou um abajur ao lado da cama para não levantar no escuro;
  • Se tiver tapetes no quarto, prenda-os ao chão;
  • Evite camas muito baixas e colchões muito macios. Você poderá ter dificuldade para levantar ou deitar;
  • Prefira cadeiras e poltronas com apoios de braço laterais e com altura adequada para sentar e levantar.

 

Podemos fazer alguma adaptação no banheiro?

  • Aumente a altura do vaso sanitário, com um elevador de assento, e instale barras de apoio laterais e paralelas para facilitar ao sentar e levantar;
  • Substitua o box de vidro por cortinas, utilize tapetes emborrachados e antiderrapantes e instale barras de apoio dentro do box para facilitar a movimentação;
  • Utilize uma cadeira resistente e firme dentro do box se tiver dificuldade de se abaixar durante o banho;
  • O uso de lâmpadas fluorescentes e de cortinas, pia e assento do vaso de cores diferentes do piso, podem tornar o ambiente mais bem iluminado.

Na cozinha e área de serviço:

  • Não utilize armários muito altos que necessitem de bancos ou escadas para alcançar os objetos e permitem instabilidade;
  • Não deixe pequenos objetos espalhados pelo chão, como brinquedos de crianças, fios ou extensões elétricas que cruzam o caminho;
  • Luzes com sensor de movimento em locais de pouca luminosidade e barras de apoio podem ser úteis;
  • Retire pequenos móveis que podem ser barreiras ao livre acesso entre os locais da casa;
  • Evite sofás muito baixos e macios para reduzir a dificuldade para se levantar.

 

O que mais pode ajudar na segurança?

  • Números de telefone de familiares, amigos ou do programa de Medicina Preventiva em locais de fácil acesso para ligar em casos de emergência;
  • Dispositivos de alarme instalados junto ao corpo ou próximo do idoso para facilitar o acesso à busca de ajuda.

Exercícios físicos são úteis?

  • Sim. A prática regular de atividade física, preferencialmente supervisionada por profissional capacitado, pode trazer benefício para a saúde.

 

Alguma medicação pode ajudar a prevenir quedas?

  • Estudos demonstram que a suplementação de vitamina D pode reduzir o risco de quedas em pessoas acima de 65 anos. Consulte sempre o seu médico para ter orientações adequadas sobre como suplementar a vitamina D.

 

Fonte: Manual de prevenção de quedas da pessoa idosa, Iamspe, 2006.

 

Na Medicina Preventiva da Unimed Rio Preto, os clientes contam com estas orientações nas consultas realizadas pela Equipe Multidisciplinar, nos cursos de orientações como: Viva Bem, Oficina da Coluna e Atividade física. Informações: (17) 3202-1120.

 

O nosso plano é estar sempre ao seu lado por isso estamos por aqui também! Central 24 horas - (17) 3202-1223 SAC 24 horas - 0800 772 94 67

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *