Saúde Bucal do Idoso

A saúde geral do idoso tem sido comumente foco de muitos estudos, tanto em âmbito populacional, quanto em novas alternativas com a expectativa de aumentar a qualidade de vida no envelhecimento. Nas últimas décadas, a saúde bucal tem caído no esquecimento pelas pessoas em geral quando se diz respeito às condições de saúde da população idosa. Assim supõe-se que esta parcela da população deva apresentar baixos níveis de saúde bucal, tendo como principal problema a perda de dentição, necessitando do uso de próteses para suprir suas necessidades mastigatórias.

Uma pesquisa nacional de saúde bucal do Ministério da Saúde, mostra que mais de 3 milhões de idosos necessitam de prótese total (nas duas arcadas dentárias), e que outros 4 milhões precisam usar prótese parcial (em uma das arcadas). O envelhecimento sem o adequado cuidado com a saúde oral pode levar a intensas mudanças no aparelho estomatognático, reduzindo sua capacidade física e funcional. Com isso, o edentulismo se torna um forte indicador de saúde para adultos e idosos.

O edentulismo é caracterizado pela perda total ou parcial dos dentes, e este problema vai muito além de apenas uma questão estética. É, sim, um problema da saúde pública brasileira, principalmente devido ao aumento da expectativa de vida da população brasileira em especial, nos últimos 100 anos, em virtude dos avanços tecnológicos e melhorias no padrão de saúde, acarretando distúrbios funcionais, tais como: insuficiência mastigatória, disfagia moderada, desordens da articulação e fala, perda de suporte facial com comprometimento e atrofia óssea.

A ausência dos dentes influencia diretamente na relação psicossocial do indivíduo com seu corpo, devido ao padrão estético e, com a comunicação interpessoal, para a habilidade de falar claramente e para a qualidade vocal. Assim, na população idosa, há uma grande necessidade de atendimento individual nas escovações, em virtude da falta de coordenação, de destreza manual baixa e mesmo devido à impossibilidade de realizar a higienização.

Além de alterações fisiológicas, os idosos constituem o maior grupo de consumidores per capita de medicamentos do mundo. Os medicamentos mais consumidos pelos idosos são os cardiovasculares, analgésicos, sedativos e tranquilizantes, cujos efeitos estão associados à inibição do fluxo salivar, aumentando a suscetibilidade à cárie. Os recursos básicos para orientação do idoso envolvem informações quanto à limpeza regular diária dos dentes e próteses, quanto ao controle da dieta e orientações, visando o fortalecimento da superfície dentária, com o uso do flúor. 

Fonte:

SILVA, E. T. Edentulismo no Brasil: Aspectos Epidemiológicos, Assistenciais e Econômicos no Contexto do Sistema Único de Saúde. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 2013. Dissertação (Doutorado), Universidade Federal de Goiás, 147 p. 2013.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Projeto SBBrasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal – Resultados Principais. Brasília. 2011.

CALDAS JÚNIOR, A. F.; CALDAS, K. U.; OLIVEIRA, M. R. M.; AMORIM, A. A.; BARROS, P. M. F. O Impacto do edentulismo na Qualidade de Vida de Idosos. Rev. Ciênc. Méd. Vol.14(3), p. 229-238. 2005.

O nosso plano é estar sempre ao seu lado por isso estamos por aqui também! Central 24 horas - (17) 3202-1223 SAC 24 horas - 0800 772 94 67

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *