Semana Mundial da Amamentação

A Semana Mundial da Amamentação foi criada para promover e fortalecer a prática da amamentação natural, com o objetivo de combater a desnutrição infantil, além de possibilitar a criação de bancos de leite para crianças que não têm condições de serem amamentadas por suas mães.

O leite materno é um alimento completo, capaz de oferecer todos os nutrientes necessários ao desenvolvimento do recém-nascido. Pesquisas mostram que a amamentação também é um dos grandes aliados na redução da mortalidade infantil.

Além dos laços afetivos com a mãe, a amamentação é a forma da criança receber cálcio, fósforo e ferro, além de outros nutrientes importantes para que tenha um crescimento saudável, e garante a boa formação óssea, que vai do nascimento até os trinta e cinco anos de idade.

A UNICEF e a OMS recomendam às mães que o sucesso para que as mesmas consigam amamentar exclusivamente, até os seis meses de vida da criança, é iniciar o processo de amamentação logo em seguida ao parto.

Não oferecer outro tipo de alimento para o bebê como água e chás; que o peito seja oferecido todas as vezes que a criança quiser, chorar ou manifestar fome; e não fazer o uso de chupetas e mamadeiras, para não acostumar a criança a uma forma mais fácil de sucção.

Aleitamento materno pela saúde do planeta

Em 2020, a Semana do Aleitamento Materno tem como tema “Apoiar a amamentação para um planeta mais saudável”. O leite materno é um alimento natural, produzido sem uso de fontes de energias não renováveis, sem emissão de carbono, dispensa uso de embalagens e não polui o meio ambiente.

O aleitamento materno melhora as condições de saúde por evitar diarreia e infecções respiratórias, diminuir o risco de alergias, diabetes, colesterol alto e hipertensão, levar a uma melhor nutrição e reduzir a chance de obesidade. 

Amamentação durante a pandemia

É seguro amamentar o bebê em tempos de pandemia pelo covid-19? Sim! Até o momento, não há evidência científica robusta de que haja a possibilidade de transmissão do covid-19 pelo leite materno. 

Se a mãe é suspeita ou caso confirmado, ela deve continuar amamentando seu bebê.  As evidências mostram que a amamentação reduz a mortalidade neonatal e infantil, esses benefícios são superiores aos potencias riscos de contaminação.

Alguns cuidados são necessários se a mãe é suspeita ou caso confirmado:  

  • Lavar as mãos ao menos por 20 segundos com água e sabão e/ou usar álcool em gel 70% nas mãos antes de tocar o bebê, ou antes de retirar leite materno (manual ou bomba extratora);  
  • Usar uma máscara (cobrindo completamente nariz e boca) durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação.

Se a mãe não se sente bem para amamentar, ela pode extrair o leite e pedir para outra pessoa oferecer para o bebê. Para mais informações, entre em contato com o Beabá Bebê pelo telefone (17) 3202-1234, ou pelo WhatsApp (17) 99146-2032.

Fonte: Portal dos Direitos da Criança e do Adolescente/Governo Federal.

O nosso plano é estar sempre ao seu lado por isso estamos por aqui também! Central 24 horas - (17) 3202-1223 SAC 24 horas - 0800 772 94 67

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *