A definição de gestão de crises em PMEs está ligada ao gerenciamento de estratégias com o objetivo de resolver demandas ocasionados por mudanças, sejam internas ou externas. No mundo dos negócios, há diversos fatores que podem impactar as empresas, independentemente do tamanho ou do tempo de mercado.

Uma crise empresarial pode resultar de questões grandes como uma pandemia ou de uma quebra econômica, mas também de problemas aparentemente mínimos, como boatos, falhas em produtos, acidentes ou campanhas mal planejadas.

Empresários de pequenas e médias empresas devem estar atentos, pois nem sempre podem contornar as crises com facilidade. Sem uma administração específica, as circunstâncias podem se tornar fatais para o negócio.

Quer saber quais são as melhores estratégias para a gestão de crises em PMEs? Continue a leitura deste post!

Como posso evitar as crises na minha empresa?

Na maioria das vezes, a crise não se instaura de repente, acertando a empresa de uma hora para outra. Tudo começa com uma ameaça relativamente pequena, que muitas vezes é ignorada. Com o tempo, essas ameaças vão se tornando mais expressivas e, como uma bola de neve, podem tomar proporções inimagináveis.

O primeiro passo para começar a gestão de crises em PMEs é entender que uma ameaça real para uma empresa pode levá-la à falência. Não espere para ver e não ignore os sinais: quanto mais cedo o gestor puder detectar os pontos fracos da PME, mais fácil se torna lidar com eles e resolver possíveis problemas.

Listamos a seguir as principais ameaças para as PMEs brasileiras e como impedi-las. Acompanhe!

Interrupção e vulnerabilidade de negócios

Dos gigantes que se levantam no mundo dos negócios, esse é um dos piores. A interrupção abrupta da rotina da empresa sempre tem uma origem. Na maioria das vezes, a vulnerabilidade se dá por meio da interrupção na cadeia de abastecimento ou da fragilidade da empresa diante de situações inusitadas. Entre elas, podemos citar inundações, falta de energia, incêndios e outras formas de danos materiais.

Para se precaver, é importante sempre se preocupar com fluxo de caixa e capital de giro, mantendo uma reserva financeira no caixa.

Inflação, deflação e programas de controle econômico

É preciso destacar o impacto que a variação de preços tem nas pequenas e médias empresas. Isso acontece devido à deflação (que causa a redução de preços) e à inflação (que causa o aumento de preços), bem como aos programas de controle comercial e econômico.

Aí está um foco de verdadeiras ameaças para as empresas brasileiras, já que os programas do governo podem estar de acordo com as alterações legislativas, oscilações econômicas e iniciativas de controle ou restrições de crédito.

Para blindar sua PME, busque variar a quantidade de produtos oferecidos. A amplitude da variedade dará a você mais oportunidades para atender às necessidades dos seus clientes. Foque na variedade, e não na quantidade.

Ameaças virtuais

Os crimes virtuais, a violação de dados e as falhas nos sistemas de TI são algumas das ameaças mais presentes nas organizações que estão começando. Quem trabalha diretamente com bases de dados na Internet depende de uma estrutura online segura.

Para evitar essas crises, faça um gerenciamento adequado dos canais de comunicação. Uma boa dica é estabelecer as políticas de atendimento em caso de problemas, prevendo qualquer dificuldade proveniente desse risco.

Não consegui conter a crise, e agora?

Nem sempre é possível se manter isento à crise. Há situações completamente fora do controle da gestão, como a atual Covid-19. Se a quarentena é recomendada para impedir a proliferação do vírus e tentar reduzir o contágio, é sinal que a segurança e a saúde da população se tornaram prioridades. Logo, sua empresa precisa se adaptar ao momento da forma mais imediata possível.

Quer saber como agir depois que a crise já impactou a sua empresa? Continue acompanhando.

1. Tome consciência do problema e aja imediatamente

O primeiro passo é saber que a sua empresa pode ser afetada. Aceitar que o seu negócio pode sofrer as consequências da crise não é o mesmo que entregar os pontos, pelo contrário. Como um bom gestor, você precisa empregar energia para gerar soluções criativas e estratégicas — e isso não pode partir de alguém que não se conscientiza em relação ao tamanho do problema.

Ciente da crise, aja rapidamente. Se possível, imediatamente. Em cenários do tipo, o imediatismo não significa fazer qualquer coisa para resolver o problema momentaneamente, mas contar com a praticidade ao analisar o cenário, conversar o necessário com quem pode ajudar e tomar medidas eficientes e rápidas. Nada de gastar semanas e semanas planejando!

2. Inove sem medo

A crise não representa estagnação. Ficar parado e fazer o mais do mesmo são as piores armadilhas no universo dos negócios. Se o mercado está mudando a todo momento, encare as mudanças com motivação.

No meio da crise, quem souber inovar, pode encontrar a solução para os seus problemas. Como conseguir isso? Basta se atentar às novas necessidades do mercado da forma mais detalhista possível. Pergunte-se como as pessoas passaram a se comportar e de que forma estão se adaptando à situação. Se for necessário, melhore seus processos e produtos em busca de atender à demanda do público.

3. Elabore uma estratégia de comunicação com seu público-alvo

Durante a crise, a empresa deve saber como se comunicar de modo autêntico, considerando o público-alvo da empresa. Se você negligenciar clientes ou fornecedores em prol de se conectar apenas com investidores, órgãos reguladores ou consumidores mais ruidosos, pode cometer um erro mais grave do que a crise.

Pense de forma equilibrada. Comece refletindo sobre com quem sua empresa se comunica e como fazer isso de forma estratégica. Lembre-se de mostrar que sua empresa permanece forte e segura. Esse também é o momento para rever as regras de logística, os planos de primeiros socorros, as políticas de RH, os cuidados com o seu colaborador e outras vias de comunicação.

4. Valorize a experiência do outro

Uma das grandes chaves para emergir da crise é buscar orientação com profissionais especializados. Sempre tem alguém que já enfrentou problemas parecidos ou que estuda o tipo de crise pelo qual a sua empresa está passando.

Se você não tiver dinheiro para contatar uma assessoria, busque a ajuda de outros comerciantes experientes. Se você não conhece ninguém que possa ajudar, opte pela Internet. Por meio de pesquisas, é possível encontrar vídeos com dicas de empresários famosos ou ler artigos sobre o assunto.

Saber como realizar uma boa gestão de crises em PMEs é mais do que importante para quem desejar contornar o problema. Quem seguir as dicas que listamos neste artigo e colocá-las em prática pode até mesmo sair da crise melhor do que antes. As maiores inovações podem surgir bem no meio dos problemas. Pensamento positivo e mãos à obra!

Quer mais conselhos para a sua gestão? Então aproveite para conferir nosso artigo sobre como economizar energia elétrica e reduzir custos!