Quando uma criança está a caminho, um mix de emoções vem à tona para os pais: alegria, entusiasmo, euforia, ansiedade. Em meio a tantos sentimentos bons, surge a responsabilidade e a preocupação com a saúde da criança desde que o positivo foi detectado no teste de gravidez.

O plano de saúde para bebê é uma forma de entregar e assegurar todos os cuidados médicos e atendimento necessários. Os pequeninos precisam desse suporte para se desenvolverem com saúde e proteção.

É comum para os pais que surjam dúvidas na hora de contratar este serviço tão importante para a criança, afinal, são várias opções, modalidades de contratação e diferentes regras para cada uma delas.

Para que você esclareça suas dúvidas, saiba como preservar a saúde do neném e consiga escolher qual plano de saúde para bebê se encaixa melhor nas necessidades de seu/sua filho(a). Por isso, separamos algumas questões sobre os planos para recém-nascidos.

Assim, você terá as orientações necessárias para determinar qual a melhor opção e assegurar o acesso à saúde com qualidade. Dessa forma, garantindo todas as necessidades de uma criança que acabou de chegar ao mundo.

Boa leitura!

Como preservar a saúde do neném?

Antes de começar com as explicações sobre o funcionamento do plano de saúde para bebê, é importante esclarecer como preservar a saúde da criança e garantir seu pleno desenvolvimento.

Sabemos que os pequeninos são frágeis e precisam de cuidados especiais. Pois, apesar de já terem saído da barriga, ainda não estão completamente preparados para os perigos comuns em nossa vida.

Depois de nascer, a criança deixa o ambiente super protegido (o ventre de sua mãe) e fica completamente exposta a uma infinidade de fatores externos que representam riscos mínimos aos adultos, mas que podem ser fatais para uma criança tão nova. Para as mães de primeira viagem, além dos perigos encontrados nos ambientes, soma-se a falta de experiência.

Desta forma, para que a saúde do neném seja preservada, é preciso ir além das dicas de cuidados necessários para uma criança e buscar o suporte de um especialista, visto que existem sinais invisíveis para os pais que podem ser detectados pelo médico e é altamente arriscado cuidar de um recém nascido sem o acompanhamento do(a) pediatra.

Por isso, contar com todo o suporte de um plano de saúde para bebê é indispensável para preservar sua saúde. Assim, é possível identificar qualquer problema e resolvê-lo antes que prejudique o desenvolvimento da criança.

É verdade que existe atendimento público para a criança. Entretanto, sabemos que, apesar do imenso leque de serviços disponível no SUS, nem sempre é possível ter acesso à saúde no tempo necessário e com a qualidade esperada, visto que o Sistema Público de Saúde já era saturado e agora mais ainda devido à pandemia de Covid-19.

Portanto, como a saúde vem em primeiro lugar e os recém nascidos precisam de atenção dobrada e atendimento imediato. A melhor forma de garantir isso à criança é investindo num plano de saúde para bebê.

Plano de saúde para bebê: opções de contratação e o que é preciso para incluir o recém-nascido

Plano-de-saúde-para-bebê-2

Existem algumas maneiras de incluir um recém-nascido no plano de saúde para bebê. Pode ser através da inclusão do pequenino no plano familiar, plano individual ou como dependente no plano dos pais.

Neste conteúdo, vamos focar no atendimento pós-parto, afinal, a cobertura assistencial com obstetrícia, além de ter até 300 dias de carência, se estende ao recém-nascido por apenas 30 dias e a inclusão da criança no plano não é feita automaticamente, a operadora deve ser informada sobre o interesse de incluir.

Durante o primeiro mês, o plano entrega todos os serviços necessários para o bem estar da mãe e seu bebê. Assim, ele pode ser utilizado para realizar quaisquer exames neonatais, como o do pezinho, por exemplo. No entanto, a criança precisa de cuidados especiais por um tempo bem maior que esses 30 dias.

Entenda como é feita a inclusão do bebê em um plano já existente ou através de um plano individual. Confira!

Inclusão da criança como dependente em um plano já existente

Apesar da inclusão da criança como dependente não ser automática, é bem simples de ser feita.

Para que o bebê seja incluído como dependente do titular do plano, o responsável deve solicitar a inclusão junto à operadora em algum dos canais de comunicação disponíveis com prazo máximo de 30 dias após o nascimento. A filiação precisa ser comprovada, para isso, basta encaminhar a certidão de nascimento conforme solicitado pela empresa.

Caso a carência do titular do plano já tenha sido cumprida, a criança tem acesso imediato às coberturas. Se o período de carência ainda estiver em vigência, será estendido para o bebê.

Assistência à saúde do bebê por meio de plano individual

Nem sempre os pais que acabam de ter um bebê contam com o suporte de um plano de saúde. Ou às vezes não têm condições de entregar essa assistência à toda família.

Neste caso, para assegurar o benefício ao recém nascido, os pais podem contratar o plano de saúde para bebê, que funciona do mesmo jeito que qualquer plano individual.

Na hora de contratar, é preciso escolher o tipo de cobertura (ambulatorial ou hospitalar). Como os bebês são frágeis e se adoecem com muita facilidade, para garantir o bem estar e saúde da criança, é recomendado a cobertura hospitalar, pois caso haja problemas mais sérios e/ou doenças pré-existentes, é vital ter acesso à internações.

Outra característica do plano de saúde para bebê individual é a obrigatoriedade de cumprir um prazo de carência.

De acordo com a ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar, órgão responsável por regulamentar e fiscalizar os planos de saúde no Brasil, o tempo de carência pode ser de até 180 dias para utilizar integralmente o convênio. Atente-se, algumas operadoras oferecem limites menores para acionar o convênio.

Um ponto interessante é que os preços praticados costumam ser menores que das outras formas de contrato. Os pequeninos fazem parte da primeira faixa etária de contratos (0 a 18 anos), por este motivo, as mensalidades são as menores do mercado.

Como escolher o melhor plano de saúde para bebê?

Bom, agora que você já sabe a necessidade do plano de saúde para bebê e as diferentes formas de contratação, chegou o momento de entender o que é preciso levar em consideração na hora de contratar o plano ou simplesmente incluir a criança em um já existente. Para escolher o plano que melhor encaixa em sua realidade, você precisa agir da seguinte maneira:

  • Pesquisar na web a avaliação que os clientes dão para as operadoras de plano de saúde que estão no seu leque de opções;
  • Ficar atento às redes credenciadas que os planos de oferecem;
  • É comum que os pais tenham um médico de confiança para cuidar do bebê. Preste muita atenção nos hospitais, consultórios e clínicas e veja se os profissionais de sua confiança ou indicados por alguém próximo atuam nesses lugares;
  • Vacina é vida! Alguns planos não oferecem programa de vacinação, verifique se suas opções disponibilizam este serviço;
  • Tente não optar por planos de coparticipação. Como dito anteriormente no conteúdo, os bebês são frágeis e precisam de cuidados especiais com frequência. Por isso, esta modalidade pode ser desvantajosa, pois, o titular deve pagar uma porcentagem pelas consultas e/ou exames realizados;

Tenha em mente que o plano com cobertura ambulatorial oferece apenas consultas e exames especializados. Crianças recém-nascidas precisam de atenção dobrada e acompanhamento de seu desenvolvimento. Um plano com cobertura hospitalar é muito mais completo e oferece uma grande lista de benefícios adicionais.

Pronto! Chegamos ao final deste conteúdo e agora você sabe tudo o que precisa para entender como funciona o plano de saúde para bebê e o quão relevante ele é para o pleno desenvolvimento da criança.

Para finalizar é importante destacar uma última informação importante. Todas as as condições para inclusão do recém-nascido descritas no conteúdo não se limitam apenas a filhos biológicos.

Crianças adotadas também podem ser incluídas no plano de saúde até os 12 anos de idade. Nesses casos, a carência é contada a partir da data oficial de adoção.

Conte com toda a infraestrutura e profissionais qualificados da Unimed Rio Preto para cuidar da saúde de seu bebê e acompanhar seu desenvolvimento. Se tiver dúvidas, entre em contato com nosso time que está pronto para te ajudar!

Powered by Rock Convert