Série Diabetes – Seringas

Vamos dar início a uma série de publicações voltadas para diabéticos, que tem por finalidade promover o uso correto dos materiais e medicamentos utilizados no tratamento. E algumas dicas para proporcionar uma experiência mais confortável durante o tratamento.

Nosso primeiro assunto será sobre seringas. Existem vários tipos de insulinas disponíveis para o tratamento de diabetes, e elas se diferenciam pelo tempo em que ficam ativas no corpo, pelo tempo que levam para começar a agir e de acordo com o momento do dia em que elas são mais eficientes.

São apresentadas em canetas preenchidas descartáveis, canetas recarregáveis com troca do refil e frasco-ampola, algumas com as ambas opções, a de caneta e frasco-ampola.

As canetas preenchidas e as canetas recarregáveis têm vantagens pela praticidade e facilidade em manipular, e melhor precisão na dose, com um dispositivo de ajuste de dose na parte de trás da caneta, que é realizada girando até a dose desejada. Na parte da frente, um encaixe para a agulha, que pode ser desde as agulhas nano de 4mm até as originais de 12,7mm. Em breve, falaremos aqui sobre agulhas.

As seringas têm a vantagem de serem encontradas com maior facilidade e por menor custo. Usada para insulinas em frasco-ampola, o ajuste é feito aspirando a insulina até a dose correta, é comumente encontrada nos volumes de 30UI, 50UI e 100UI.

Dicas:

Para facilitar o uso com seringas dê preferência:

  • Seringas de 100UI – para quem utiliza quantidades superiores a 50 unidades por aplicação;
  • Seringas de 50UI – para quem utiliza quantidades entre 30 a 50 unidades por aplicação;
  • Seringas de 30UI – para quem utiliza quantidades inferiores a 30 unidades por aplicação.

Atenção:

Além da variedade no volume (UI) da seringa, as seringas possuem escalas diferentes:

  • Escalas de 1 em 1 unidade comumente em seringas de 50UI (cada traço corresponde a 1UI) figura 1.
  • Escalas de 2 em 2 unidades, comum em seringas de 100UI (cada traço corresponde a 2UI) figura 2.
Figura 1 | Figura 2

Também existem casos de escalas de 0,5UI em seringas de 30UI. Recomenda-se que sejam utilizadas seringas que já possuem agulhas acopladas para o uso de insulina, pois a opção com agulha removível apresenta um espaço morto e pode reter até 5UI, além de não poder ser realizado a mistura de dois tipos de insulina, pois ocorrerá erro na dosagem.

Antes de inserir a agulha na insulina, aspire ar para dentro da seringa em uma quantidade equivalente a dose que irá utilizar. Em seguida, retire a capa da agulha e introduze-a pela tampa de borracha do frasco de insulina, injetando o ar que está dentro da seringa para dentro do frasco. Coloque o frasco de cabeça para baixo e aspire a quantidade recomendada de insulina.

As seringas de insulinas são classificadas como descartáveis, portanto, de acordo com o fabricante, não devem ser reutilizadas. O descarte das agulhas e seringas com agulhas acopladas, deve ser realizado em um coletor para perfurocortantes ou recipiente com paredes rígidas, boca larga e tampa e entregue no posto de saúde mais próximo.



Para dúvidas, entre em contato conosco, que retornaremos em até 48 horas.
Central de Informações:
assistenciafarmaceutica@unimedriopreto.com.br




O nosso plano é estar sempre ao seu lado por isso estamos por aqui também! Central 24 horas - (17) 3202-1223 SAC 24 horas - 0800 772 94 67

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *