higiene ocupacional

O que é higiene ocupacional e qual o seu objetivo

Cuidar da saúde dos colaboradores de uma empresa é uma tarefa fundamental para o bom desempenho dos trabalhos e desenvolvimento. Quando falamos a respeito dessa área, precisamos levar em conta a Higiene Ocupacional. Esse é um ramo da Segurança do Trabalho de grande importância para a manutenção do bem-estar dos trabalhadores e bom funcionamento da empresa.

Muitas vezes, podemos fazer referência ao cuidado com a saúde dos trabalhadores utilizando termos como Higiene do Trabalho, ou Higiene Industrial. De qualquer forma, todos esses termos referem-se às práticas de cuidado visando evitar acidentes e doenças no ambiente de trabalho.

Acompanhe a leitura deste artigo para compreender o que são, como ocorrem esses procedimentos e qual sua importância para o bom funcionamento de uma empresa!

O que é Higiene Ocupacional e qual seu objetivo?

A Higiene Ocupacional é uma ciência cujo primeiro objetivo é reconhecer, dentro de determinado ambiente de trabalho, os agentes que fornecem risco àqueles que desempenham sua função no local. Uma vez reconhecidos, é também a essa área do saber que cabe a função de avaliar o nível dos riscos, bem como estipular ações e demais medidas que devem ser tomadas para controlar, amenizar e, se possível, neutralizar esses agentes de risco.

Dessa forma, a “Higiene Laboral”, como também é conhecida, é essencial para gerenciar possíveis riscos e garantir a saúde ocupacional. Por isso, a atenção à essa área é indispensável para o bom funcionamento das empresas, uma vez que prevenir os riscos aos trabalhadores é fundamental para que eles possam continuar trabalhando e sintam-se valorizados pela empresa. Longe de ser superficial, essas ações são essenciais para o sucesso do empreendimento e até mesmo para o aumento da produtividade da empresa.

Quais são os agentes de risco da empresa?

Uma questão essencial na hora de pensar a saúde dos trabalhadores, é perceber os riscos aos quais eles estão expostos no local de trabalho. Para que isso ocorra de forma eficiente, existem classificações que definem quais os tipos de risco possíveis de serem encontrados no ambiente laboral. A seguir listamos os principais deles. Confira!

  • risco físico: quando o trabalhador pode ser prejudicado por conta de fatores físicos como ruídos, vibrações, pressões excessivas, temperaturas altas ou baixas, radiações ou umidade;
  • risco químico: quando o colaborador corre o risco de ser contaminado por gases, vapores, fumos, névoas, neblinas e demais substâncias puras ou compostas que podem entrar em contato com o organismo por diversas vias (cutânea, respiratória etc.);
  • risco biológico: muito presente em ambientes de trabalho da área da saúde, os riscos biológicos consistem em bactérias, fungos, parasitas, vírus e protozoários que podem entrar em contato com o trabalhador, infectando-o.

Quais são as áreas de atuação?

Existem uma série de áreas em que a Higiene do Trabalho atua. Cada uma delas apresenta certos objetivos, que variam de acordo com a atividade desempenhada. Confira a seguir alguns exemplos:

  • contaminantes: o objetivo é prevenir as doenças infecciosas e poluentes;
  • engenharia: o intuito é quantificar os riscos no ambiente e buscar soluções para esses problemas;
  • medicina preventiva: quantificar os riscos, bem como tratar possíveis doenças e relatar potenciais agravos à saúde do trabalhador;
  • epidemiologia: estudar a distribuição dos fenômenos da saúde e compreender a eficácia dos tratamentos no âmbito da saúde pública;
  • toxicologia: compreende quais os agentes e substâncias químicas nocivas ao organismo;
  • química: estuda quais as propriedades da matéria, bem como a maneira como ela se comporta quando manuseada no ambiente de trabalho.

Quais as etapas do programa?

Uma vez que o objetivo dessa prática é garantir um ambiente de trabalho saudável por meio da análise e prevenção de determinados riscos, é necessário que sejam estipuladas certas etapas para que essas averiguações a ações sejam tomadas da maneira mais segura e eficiente possível. Por conta disso, listamos os principais procedimentos da Higiene Ocupacional.

Antecipação de riscos

Em um primeiro momento, é necessário que a equipe qualificada faça uma análise do ambiente laboral. É nessa fase que são avaliadas quais as possibilidades de risco aos trabalhadores. Por meio dessa observação, é possível notar se existem agentes que podem acarretar acidentes de trabalho a determinadas atividades desenvolvidas naquele local. Essa etapa é fundamental, pois por meio dela será possível tomar medidas preventivas antes da implementação ou modificação dos processos industriais.

Reconhecimento de riscos

A segunda etapa da Higiene Ocupacional consiste no reconhecimento de riscos. É nessa fase que será feita uma avaliação qualitativa a respeito dos agentes de risco. Nesse sentido, devem ser avaliados quais os tipos de agentes existentes no ambiente. Perceber quais os agentes de risco, sejam eles físicos, químicos, biológicos ou até mesmo riscos ergonômicos, é crucial para poder estabelecer com eficiência as medidas necessárias para conter cada um deles.

Além disso, é válido lembrar que nessa etapa não basta analisar apenas o ambiente em que ocorrem as atividades, sendo importante também levar em conta a rotina de trabalho, os processos realizados, as instalações e também os equipamentos utilizados pelos trabalhadores do local.

Avaliação do risco

A terceira fase é composta pela avaliação quantitativa dos riscos. Nesse momento é necessário que sejam levados em conta os limites de tolerância a riscos previstos na Norma Regulamentadora Nº 15 (NR 15). Organizada pelo Ministério do Trabalho, esta norma prevê quais os níveis aceitáveis para determinado agente de risco. Por isso, é necessário que esses sejam percebidos adequadamente para, caso excedam os limites previstos, a empresa poder investir em meios para controlar, amenizar e até mesmo neutralizar os riscos.

Controle de riscos

Após serem avaliadas as condições e possíveis riscos presentes no ambiente de trabalho, seja em termos quantitativos, quanto em termos qualitativos, é necessário controlar esses riscos percebidos. A última fase, longe de ser a menos importante, consiste no estabelecimento de certas medidas e ações preventivas que devem ser adotadas para, como o nome sugere, controlar os riscos percebidos.

Como aplicar de forma eficiente?

Para garantir a saúde dos trabalhadores, a melhor opção é contar com uma parceria de empresas especializadas no ramo, que tenham experiência na área de saúde ocupacional e, assim, possam fornecer serviços com qualidade e seriedade. Além disso, é válido que a empresa conte com um plano de saúde empresarial. Dessa forma, a saúde do colaborador estará sempre garantida, desde seus primeiros momentos dentro da empresa.

Implementar a Higiene Ocupacional é fundamental em diversos aspectos. Como você pôde perceber, existem processos e regras que devem ser seguidas para assegurar o bem-estar dos trabalhadores. Com eles saudáveis, também sua disposição para o trabalho será melhor. Além disso, por meio desses procedimentos, o corpo de funcionários se sente valorizado, o que faz com que fiquem mais motivados.

Você conhecia essas informações sobre a Higiene do Trabalho? Quer saber mais sobre como cuidar da saúde dos colaboradores na empresa e qual a importância disso? Então, nos siga nas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube!

Powered by Rock Convert
O nosso plano é estar sempre ao seu lado por isso estamos por aqui também! Central 24 horas - (17) 3202-1223 SAC 24 horas - 0800 772 94 67

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *